Plano de Acção | 2014-2016

O plano de acção da Lista B.

1-Introdução
O filósofo francês Roland Barthes afirmou um dia que um profissional com uma  nota máxima de 10 é alguém com uma classificação de 5 pontos em carácter, 3 pontos de talento e 2 pontos de esforço. No momento em que os associados da APE têm a responsabilidade de eleger uma Equipa para liderar a Associação nos próximos 3 anos o carácter é claramente o ponto de encontro de todos quantos se uniram na lista. Somos profissionais que diariamente enfrentam os desafios que a Sociedade coloca,  que acreditam que com máxima resiliência todos os obstáculos são ultrapassáveis e que, acima de tudo, todos os dias deveremos manter o propósito de servir a nossa Pátria.

Temos a convicção que é possível construir uma APE mais forte, com mais valor para os seus Associados e com uma relação estratégica com o IPE. Queremos dedicar o nosso tempo a construir o futuro sem esquecer as nossas origens, queremos ter todos connosco porque acreditamos que a diversidade é algo que sempre marcará o ser Pilão, queremos ter todos connosco porque acreditamos que a perseverança  e a capacidade de adaptabilidade de um Pilão é algo que marca e nos diferencia nas Sociedades onde actuamos.

Somos uma Equipa que actua na vida empresarial e no meio militar, em Multinacionais, em Empresas Nacionais e em projectos de puro Empreendedorismo, de diversas gerações, distintas regiões, de homens e de mulheres que acreditam que Querer é Poder.

2-Plano de Acção por área:
2.1 Finanças
2.1.1 Actuar na recuperação das Quotas em Atraso;
2.1.2 Simplificar o Pagamento de Quotas através das autorizações dos Associados para débito em conta ou pagamento automático por Multibanco;
2.1.3 Garantir que os investimentos efectuados estão de acordo com o Orçamento aprovado e que são estratégicos para os objectivos da Instituição;
2.1.4 Garantir o cumprimento do prazo de pagamento acordado com os Fornecedores;
2.1.5 Minimizar a estrutura de custos de funcionamento da Instituição;

2.2 Operações
2.2.1 Garantir a optimização dos Recursos da Associação assim como a qualidade das Bases de Dados de Contactos dos Associados;
2.2.2 Dinamizar a actividade do Centro de Documentação e Memória;
2.2.3 Garantir o funcionamento da Associação com Optimização do Espaço Actual da Sede; explorar a possibilidade de ter um Spot no Porto;
2.2.4 Tornar o website um instrumento de comunicação operacional entre a APE e os associados.

2.3 Comunicação e Marketing
2.3.1 Desenvolvimento de Plano para garantir Retenção e de aproximação de novos Associados;
2.3.2 Desenvolvimento de Plano para garantir a atracção de novos Associados assim como trabalhar em conjunto com o IPE para aumentar o número de Candidatos;
2.3.3 Garantir que para além das quotas a Associação tem a capacidade de atrair outros fundos para maximizar a sua actividade;
2.3.4. Garantir que o Boletim reforça o fio condutor de todas actividades da vida da Associação e do IPE, diversificando gerações e assuntos de interesse dos Associados;
2.3.5. Desenvolvimento de uma agenda cultural que realce os mais de 100 anos de actividade do Instituto dos Pupilos de Exército.

2.4 Núcleos e Clubes
2.4.1 Dinamizar os Núcleos existentes e desenvolver a Criação de Novos Núcleos por geografia e por Ramo das Forças Militares e Policiais;
2.4.2 Garantir que os Núcleos são parte da agenda estratégica da APE com alinhamento e articulação dos respectivos Planos de Actividade;
2.4.3 Dinamizar a presença dos Núcleos nos dois Eventos mais importantes do triénio (aniversários do IPE e da APE);
2.4.4 Garantir a criação e o funcionamento dos Clubes de Mentoring, Negócios, Seniores e Desporto;

2.5 Relações Corporativas
2.5.1 Pugnar pela presença da APE no Conselho Estratégico do IPE e reforçar a credibilidade da APE perante todos os ex-Alunos;
2.5.2 Avaliar e promover a revisão dos Estatutos da Instituição de forma adequar os mesmos à realidade actual;
2.5.3 Garantir a representação oficial junto de todos os Stakeholders em especial da Direcção do IPE, Associação do Pais do IPE, General CEME, Ministério da Defesa Nacional, Comissão de Educação da Assembleia da República; Ministério da Educação e da Ciência; Ministério da Economia; General CEMFA.